Hoje em dia ter um plano de saúde não garante à mulher grávida o acompanhamento do médico escolhido para fazer o parto.  Tem obstetra cobrando uma taxa extra pelo serviço – o que é proibido pela Agência Nacional de Saúde Suplementar.

O parto da pequena Luna foi normal, uma decisão que pesou no bolso da mãe. Além da despesa pelo plano de saúde, ela teve que pagar uma taxa extra para o médico.

Foi a garantia de que ele estaria presente qualquer que fosse a hora do nascimento.

“Tive que pagar essa taxa de disponibilidade que no meu caso foi R$ 2 mil, mas eu pesquisei assim, ela varia de R$ 1.500 a R$ 3.500 por médico”, contou a pedagoga Luana Maiara Holanda.

Leia a matéria completa

Fonte: Bom Dia Brasil